El teletrabajo es y será confianza

Teletrabalho é (e será) confiança

A crise do COVID-19 será lembrada, entre outras coisas, como uma experiência social sem precedentes. O comportamento e a paciência das pessoas estão a ser testados, destacando o melhor e, às vezes, o pior de cada um. Os efeitos psicológicos e mudanças de hábitos far-nos-ão repensar certos aspectos quando tudo isto acabar. O lazer, o turismo ou a cultura deverão estar cientes de como os seus “clientes” começam a agir para se posicionar num novo mercado. Queremos focar em empresas com espaços corporativos, pois, embora cada um decida viajar, ir ao teatro ou jantar, ir ao escritório não é algo que possa ser decidido livremente. Anteriormente, comentamos noutra publicação que talvez esses espaços mudem o seu uso ou função e como o teletrabalho será um dos conceitos que influenciarão essa transformação.

Tempo de crise, tempo de consideração

Em geral, as empresas sofrerão as consequências de uma profunda crise económica. Alguns diretamente, como hotéis, companhias aéreas ou restaurantes, e outros indiretamente como resultado de menor consumo e controlo rigoroso de despesas não essenciais. Tudo está unido e haverá poucos setores que não serão afetados; muitos gerentes serão forçados a agir, afinal, é preciso gerar lucro. Nesta linha, terão que repensar quanto custa cada coisa e, se necessário, cada aspecto associado a uma despesa. Tudo será analisado e cada jogo será questionado, deixando a porta aberta para novos critérios para a tomada de decisões. É aí que os diferentes departamentos aparecerão, um dos quais é o Facility Management como chefe dos escritórios, entre muitas outras coisas. A equação é simples, o espaço é um multiplicador direto de custo.Portanto, se reduzirmos os medidores, o custo será reduzido, mas para que a decisão seja sustentável, será necessário decidir como e de onde funciona.

Vale lembrar que o teletrabalho não é algo novo. Como não estamos ligados a cabos, sejam eles do telefone, do computador ou da rede de dados, podemos teletrabalhar. E é isso que fazemos ao atender uma chamada ou e-mail de fora do escritório. O problema é o número de horas que mantém essa situação, quantos dias por semana e o que significa que precisa fazer isso. Anteriormente, conversamos sobre o nosso P.E.R.C.H.A. e já que já existem muitas versões do que ele faz e não é necessário teletrabalhar.

Por que o teletrabalho não é implementado?

Com base nas funções e atividades diárias, estima-se que 80% do trabalho de escritório possa ser realizado totalmente remotamente. Com as ferramentas atuais, amplo acesso à tecnologia e baixos preços de dispositivos, seria lucrativo em quase 100% dos casos. A questão é lógica, por que não fazê-lo? As respostas podem ser muitas, mas existem duas realidades. A primeira é que, por enquanto, as pessoas precisam ir ao escritório e a segunda é que depende apenas da direção de cada empresa ir ou não ir e em que condições. Bem, era assim mesmo antes do confinamento obrigatório.

No primeiro, dizer que certamente devem ser forçados, porque nem todas as pessoas têm a personalidade ou as características adequadas para poder teletrabalhar, embora a sua posição o permita. Em dez anos de teletrabalho na FMHOUSE, tivemos experiências agridoces nas quais não acertamos à primeira com o perfil, mas aos poucos fomos aprimorando o processo de seleção e fazendo as perguntas certas antes de contratar. O teletrabalho oferece flexibilidade e equilíbrio incomparáveis, além da capacidade de organizar a sua programação. Mas isso implica que, como nem toda a equipa mantém o mesmo cronograma, precise de estar um pouco ciente de que alguém precisa de algo de si. No final, essa modalidade deve ser ein-win, porque, caso contrário, não compensa nem a um nem a outro.

Falando da segunda realidade, é preciso ter em mente que, por trás de cada empresa que decide, existe uma pessoa. Seja multinacional ou familiar, de um setor ou de outro, sempre será alguém que finalmente determina o que fazer. A sua formação anterior, idade, experiência ou a natureza inovadora do seu perfil são fatores que influenciarão as decisões, e o teletrabalho em breve será um dos aspectos a serem tratados. A principal pergunta a fazer é: serei capaz de aceitar o conceito de trabalho sem ver os funcionários ou o que eles fazem? (Aqui, ousamos perguntar se estar a aquecer a cadeira é considerado bom, mesmo se estiver a olhar para o seu telemóvel ou a assistir ao dia passar …)

A chave: confiança

Para poder teletrabalhar, os líderes de equipa em todos os níveis devem apagar perguntas como “onde está?”, “Onde estava que eu te liguei várias vezes?” ou o que está a fazer? ” Às vezes, é difícil controlar esses impulsos e uma desconfiança é transmitida sobre aqueles que não estão perto. Um facto curioso: quando fazemos auditorias de ocupação e a empresa está a passar por mudanças internas ou numa situação difícil, é detectada uma maior densidade nos espaços. Algo que se poderia esperar de trás para frente é explicado levando em consideração o medo de que não seja visto. Os funcionários de uma multinacional disseram que “agora tem que estar aqui mais do que nunca, chega mais cedo e sai mais tarde, mesmo que não faça nada, porque se eles não o vêem, parece que não é necessário e está pronto para sair”. . Isso dá alimento ao pensamento.

Se precisa de saber como delegar para liderar bem, precisa de confiar no teletrabalho. Embora seja verdade que essa confiança deve ser mútua entre a empresa e os funcionários, ela sempre começará nas organizações, pois depende delas se é uma realidade ou não. O que acontece a partir de agora não é claro, o certo é que o teletrabalho estará nas mesas de gestão aguardando uma decisão. Se a desconfiança pesa mais do que benefícios, especialmente económicos, mas também ambientais, sociais, etc., terá que ser uma boa desculpa. De qualquer forma, é certo que não está completamente descartado e a sua implementação está gradualmente a acelerar.

Esperamos, de passagem, que os chefes dos departamentos de Facility Management também sejam consultados, que nem sempre sejam levados em consideração o que deveria ser e são partes essenciais desse processo de transformação.

compartilhe em suas redes sociais
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deseja mais informações sobre o que fazemos em Consultoria, Formação e Investigação en Facility Management?

Hola, ¿cómo
podemos ayudarte?

Rellena el siguiente formulario y te enviaremos el reglamento interno y código ético:

Olá, como
podemos ajudá-lo?

¿Cómo participar?

Colaborar con el Observatorio FM es una decisión personal y voluntaria, no existiendo vinculo contractual ni retribución económica por ello.

Cualquier persona interesada puede solicitar participar como líder de un nuevo proyecto, o postularse como colaborador en alguno ya existente.

Un comité técnico valorará la temática de los proyectos propuestos  y las solicitudes de los participantes, decidiendo cuáles se llevan a cabo y por quién.

Cada persona decide cuanto quiere dedicar, en función de  su disponibilidad o tipo de proyecto. El objetivo es que sea una actividad altruista y no una carga de trabajo adicional.

¿En qué consiste?

En promover y publicar estudios que sirvan de  ayuda a los profesionales del sector y para que  el resto entienda nuestra profesión y disciplina.

Los resultados y entregables se comparten en abierto, reconociendo siempre las aportaciones de todos sus autores y colaboradores.

La actividad del Observatorio respetará la objetividad, ética, rigor  y buenas prácticas que rigen nuestro área de Investigación.

Los colaboradores tienen acceso a las mejores herramientas colaborativas, a información sectorial y a contactos, además de contar con asistencia de expertos consultores e investigadores a nivel internacional.

Investigação

Observatorio FM

É uma plataforma que potencia o desenvolvimento e a difusão de conteúdo ligado ao Facility Management, aberta a todos os que desejem participar com o objetivo de partilhar pela comunidade. Nesse sentido, os pontos chave são uma participação ética, objetiva e desvinculada de outros interesses. Adicionalmente, cada participante define quanto tempo pode dedicar.

Pode participar como:

  • Líder: define u tema e coordena a atividade
  • Colaborador: participa no desenvolvimento dos conteúdos

Em troca, proporcionamos:

  • O estado da arte e as tendências relacionadas com cada tema
  • Acesso a especialistas
  • Ferramentas de colaboração
  • Design e uma plataforma de difusão para os conteúdos que sejam criados

A sua colaboração será sempre mencionada nos créditos dos trabalhos realizados em que tenha aportado a sua contribuição.

Investigação

Projetos

Fazemos parte do grupo de pesquisa europeu e trabalhamos em equipas internacionais para o desenvolvimento de diferentes tipos de iniciativas:

  • Financiamento público
  • Competições internacionais

Também trabalhamos para prestadores de serviços, que desejam suporte em decisões relacionadas a:

  • Posicionamento
  • Lançamento de produtos
  • Procura de sócios
Investigação

Normalização

Como especialistas credenciados nos processos de redação das normas europeias e internacionais de Asset e Facility Manangement, somos o parceiro perfeito para o ajudar com:

  • Alinhamento com os regulamentos
  • Assistência na certificação
  • Formação especializada

A FMHOUSE é a única empresa de consultoria de língua espanhola que participa destes processos

Investigação

Divulgação

Na FMHOUSE, pensamos que a evolução que está em Facility Management deve ser partilhado. É por isso que dedicamos um esforço para produzir e publicar os seguintes tipos de conteúdo abertamente:

  • Tendências nacionais e internacionais
  • Análises setoriais
  • Estudos de mercado

O Observatório FM” está aberto caso queira colaborar em qualquer publicação.

Consultoria

Ambiente de Trabalho

A visão dos espaços ou local de trabalho na perspectiva do Facility Management serve para entender essa necessidade como serviço, pois é necessário aplicar a mesma lógica e metodologia.

Em geral, oferecem:

  • Avaliação e otimização
  • Estratégias de design
  • Soluções e cenários
  • Bem-estar e produtividade

Aplicamos a nossa experiência em escritórios, mas também em espaços educacionais, centros comerciais e no ambiente industrial.

Consultoria

Benchmarking

Para tomar as melhores decisões, deve trabalhar com dados claros e precisos, tanto do mercado quanto da própria organização. Isso no ambiente do Facility Management é ainda mais crítico devido ao impacto que causa nos negócios.

Exemplos de tipos comparativos:

  • Custos de operação
  • Uso/alocação de recursos
  • Auditoria e avaliação de conformidade

Esses serviços são solicitados principalmente pelos usuários finais, mas também pelos fornecedores de serviços.

Consultoria

Experiência de Cliente

Tudo o que é feito em Facility Management visa satisfazer algum tipo de cliente, interno ou externo. Compreender o que eles sentem e precisam é a chave para poder oferecer um bom serviço a eles.

O nosso suporte é baseado em:

  • Avaliação de satisfação
  • Percepção do cliente
  • Modelos centrados nas pessoas
  • Gestão de mudança

Trabalhamos para entender e conhecer os clientes dos nossos clientes, de qualquer setor e tipo de negócio.

Consultoria

Transformação Digital

O mundo do Facility Management está a passar por uma profunda transição para ambientes digitais. Ajudamos os nossos clientes a entender o que isso significa e acompanhamo-los na mudança.

As nossas áreas de suporte são:

  • Digitalização de processos
  • Viabilidade e integração
  • Cultura digital
  • Resposta tecnológica

Atuamos como consultores independentes e não como vendedores de marca.

Aconselhamos os clientes finais e também os prestadores de serviços.

Consultoria

Modelos de Serviços

Qualquer tipo de empresa precisa definir ou melhorar a maneira como estrutura as atividades de suporte fornecidas pela Facility Management.

Os nossos principais produtos são:

  • Diagnóstico de estado
  • Dimensionamento de serviços
  • Grupos e modelos
  • Suporte em licitações
  • Assistência na implantação

A proposta está estruturada para medir de acordo com necessidades específicas.

Ajudamos os clientes finais e também os prestadores de serviços.

No FMHOUSE, são utilizados cookies propostos e alterados para melhorar os serviços mais recentes. Se você continuar navegando, considere que aceita novos recursos términos de uso y nuestra política de privacidade e de cookies